25/06/2018

REQUER OFICIAR AO SR. PREFEITO MUNICIPAL, SOLICITANDO INFORMAÇÕES RELATIVAS AS MEDIDAS ADOTADAS PARA COMBATER A ALTA INFESTAÇÃO DE MOSQUITO AEDES AEGYPTI EM NOSSO MUNICÍPIO.

REQUERIMENTO Nº. /2018.


REQUEIRO à Mesa, nos termos do § 1°, do artigo 18 e inciso VII, do artigo 72 da Lei Orgânica do Município de Barretos, ouvido o douto Plenário e cumpridas as formalidades regimentais, seja oficiado ao Exmo. Sr. Prefeito Municipal, solicitando-lhe providências dos departamentos competentes, visando encaminhar as seguintes informações a esta Casa de Leis:


1. Quais medidas estão sendo adotadas para diminuir o alto índice de infestação do mosquito aede aegypti em nosso município demonstrado recentemente no Levantamento de Índice Rápido pelo o Aedes aegypti – LIRAa do Ministério da Saúde?


2. Por quais motivos Barretos chegou ao alto índice de 4,7 na avaliação do LIRAa na região de Ribeirão Preto, ficando atrás apenas dessa cidade, de Jaboticabal e de Jardinópolis?


3. Quantos casos confirmados de dengue, chikungunya e zika Vírus foram registrados em Barretos desde o ano passado até a data atual? Quantos casos suspeitos há dessas doenças em nosso município?


4. De acordo com os resultados de Avaliação de Densidade Larvária – ADL, realizada pela Unidade de Controle de Vetores – UCV de nosso município, quais são os bairros de Barretos que apresentam os maiores níveis de infestação de larvas do mosquito Aedes aegypti?


5. Quais trabalho têm sido intensificados nestes bairros, objetivando a eliminação destes criadouros?


Justifico que o Governo Federal, através do Levantamento de Índice Rápido pelo o Aedes aegypti – LIRAa, do Ministério da Saúde, alertou para o alto risco de surto de dengue, chikungunya e zika vírus em 5 cidades da Região de Ribeirão Preto.


Ressalto que, além de Ribeirão Preto, as outras 4 cidades do Estado de São Paulo com elevada taxa no Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti nesta região são Bebedouro; Barretos; Jaboticabal e Jardinópolis. A nota do levantamento leva em conta a quantidade de focos do mosquito transmissor da dengue e serve de base para políticas públicas contra as doenças, mesmo em períodos de estiagem, como outono e inverno.


No LIRAa, divulgado pelo Ministério da Saúde, Barretos teve o índice de 4,7, ficando atrás apenas de Ribeirão Preto (5,3); Jaboticabal (8,0) e Jardinópolis (8,3). Tal fato é preocupante, pois, em caso de o vírus de qualquer uma destas três doenças entrar em circulação, a enfermidade se transformará em uma epidemia em nosso município rapidamente em razão da grande quantidade de criadouros e de mosquitos aedes aegypti aqui existentes. Neste sentido, este Edil solicita as informações supracitadas com o intuito de resguardar a população de Barretos destas terríveis moléstias.


Sala das Sessões Vereador Ruy Menezes, aos 20 de junho de 2018.