30/05/2018

Aspectos positivos e negativos da Audiência Pública do primeiro quadrimestre de 2018


O vereador Paulo Correa (PR) participou na noite da última terça-feira (29/05) de Audiência Pública na Câmara para demonstração de dados financeiros dos quatro primeiros meses de 2018, referente às receitas e despesas da Prefeitura de Barretos.


Com um aumento na receita de R$ 20.919.049 milhões, a Prefeitura de Barretos arrecadou R$ 149.618.221 milhões em 2018, o que corresponde 16,25% a mais, se comparado ao primeiro quadrimestre de 2017 que apresentou uma arrecadação de R$ 128.699.172 milhões. Os principais tributos apresentaram um aumento significativo na arrecadação, IPTU (6,41%), ISS (21,26%), CIP (305,94%), FPM (5,34%), ICMS (11,71%), IPVA (6,59%), FUNDEB (4,05%).


O que chamou a atenção foram os investimentos na Educação, que neste ano foram de R$ 28.686.354 milhões, uma queda de 18,15% se comparado a 2017, que teve um investimento de R$ 35.047.253 milhões. A Secretaria de Assistência Social e Desenvolvimento Humano também teve uma queda significativa nos investimentos, em 2017 foram investidos R$ 354.429 mil e em 2018 apenas R$ 158.703 mil (55,22% a menos). “Farei requerimento para a próxima sessão da Câmara, questionando se o motivo dos cortes está relacionado ao cancelamento dos convênios com as entidades sociais”, disse Paulo Correa.


O parlamentar ressalta que também irá questionar o porquê da não continuidade de investimentos na troca de iluminação pública do município, tendo em vista que a CIP - Contribuição para o Custeio de Serviço de Iluminação Pública apresentou um aumento de 305,94% na arrecadação em 2018.


Com relação à despesa corrente liquidada, o primeiro quadrimestre de 2018 ficou na ordem de R$ 186.578.609 milhões, comparado à receita arrecadada que foi de R$ 149.618.221 milhões, o déficit orçamentário em 2018 foi de R$ 36.960.388 milhões. Mas vale ressaltar que em 2017, o Fundo Municipal do Idoso arrecadou R$ 56.087.773 milhões, sendo pago no orçamento de 2018.


E por fim, com relação à dívida fundada não houve nenhuma inscrição de dívida em longo prazo no primeiro quadrimestre de 2018, fato que aconteceu em anos anteriores. Houve uma redução da dívida fundada de R$ 180.825.927 milhões para R$ 174.001.937 milhões.


Aline Trinca / Assessoria Parlamentar


Veja também...

MAIS MATÉRIAS